Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Projeto do IFMA recebe prêmio Magno Cruz de Direitos Humanos
Início do conteúdo da página Notícias

Projeto do IFMA recebe prêmio Magno Cruz de Direitos Humanos

O projeto “Fórum de Direitos Humanos e Semana da Consciência Negra” foi um dos vencedores na categoria Educação e Comunicação.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 15/12/2021 15h44
  • última modificação 15/12/2021 15h44

A professora Aurine Rocha, o diretor Vilson de Almeida e o reitor Carlos Cesar Ferreira receberam o prêmio.

Além de ser ela própria um direito humano, a educação também representa um meio estratégico para que sejam garantidos outros direitos básicos que deveriam ser assegurados a todos. Prova disso é o reconhecimento do projeto “Fórum de Direitos Humanos e Semana da Consciência Negra”, do IFMA Campus Buriticupu, na última edição do Prêmio Magno Cruz de Direitos Humanos. A ação ganhou o terceiro lugar na categoria “educação e comunicação”, subcategoria “direitos humanos na escola”.

A cerimônia de entrega ocorreu no auditório do Palácio Henrique de la Roque, na última sexta-feira (10). Na ocasião, outra iniciativa do IFMA também foi premiada. O projeto “Digitando uma Nova História: educação, dignidade e cidadania”, do Campus Santa Inês, foi vencedor da categoria “poder público e participação popular”.

A premiação foi realizada pela Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPOP). Além dos representantes dos projetos, a cerimônia contou com a presença do reitor Carlos Cesar Ferreira. “A premiação ratifica o compromisso do IFMA com os direitos humanos. Através de projetos estratégicos, nós pretendemos incentivar cada vez mais que o Instituto possa transformar pensamentos e realidades no nosso Estado”, comentou.

O secretário de Estado dos Direitos Humanos, Francisco Gonçalves, destacou a importância de reconhecer e incentivar boas práticas em meio a um momento político adverso para a pauta dos direitos humanos, sobretudo no que diz respeito às comunidades tradicionais. “Nós pretendemos estabelecer profundos laços e uma rede cada vez mais sólida entre os defensores e defensoras de direitos humanos”, destacou.

Fórum de Direitos Humanos e Semana da Consciência Negra

Registro da última edição presencial, em 2019.

O Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas (NEABI) do Campus Buriticupu realiza o Fórum de Direitos Humanos e Semana da Consciência Negra desde o ano de 2019. Segundo a coordenadora do NEABI local, professora Aurine Rocha, o que motivou a criação do evento foi um episódio de injúria racial sofrida por alunos do campus no Encontro Nacional de NEABIs (ENEABI) de 2017 – um caso lamentável que reforçou a urgência de se discutir a questão étnico-racial.

“O prêmio nos incentiva a continuar fazendo essa ação, que é um evento de extensão do nosso campus. Temos buscado trazer para o evento a temática dos direitos humanos e da consciência negra através de uma linguagem acessível, sobretudo para o público jovem” comentou a professora Aurine Rocha. Ela destaca que a atividade impacta não apenas alunos e servidores, mas também a comunidade externa.

O diretor-geral do Campus Buriticupu, professor Vilson de Almeida, também prestigiou a cerimônia de premiação e comemorou a conquista do NEABI do campus. “É um reconhecimento da luta daqueles que são considerados minoria, dos que são menos ouvidos. Nós acreditamos que levando esse prêmio para o nosso campus nós conseguiremos mobilizar mais pessoas para levantar a bandeira dos direitos humanos”, pontuou.

registrado em:
Fim do conteúdo da página